A métrica de posição média foi uma das métricas que os gestores e anunciantes sempre consideraram mais relevantes e o fim da métrica de posição média tem o objetivo de trazer uma forma de medida mais precisa. Além disso métrica que sempre esteve em destaque, considera a posição do seu anúncio em relação aos principais concorrentes na disputa pelo espaço na primeira página ou topo.

O Google anunciou que a posição média do Google Ads será desativada a partir da semana de 30 de setembro de 2019.

A recomendação é o uso das taxas de impressões na parte superior e na primeira posição da rede de pesquisa estando com mais destaque. Portanto essas métricas vão refletir no posicionamento real do anúncio na página em vez de fazer comparações com a posição de outros anúncios.

Métricas da parte superior e da primeira posição.

Com a taxa de impressões na primeira posição da pesquisa é possível saber o local de exibição dos seus anúncios nas páginas de resultados do mecanismo de pesquisa (SERPs).

Diferentemente da posição média, essas métricas não refletem a ordem dos seus anúncios em comparação a outros, mas sim o local de exibição real deles nas SERPs.

O fim da métrica de posição média

Taxa de impressões na parte superior da pesquisa.

A taxa de impressões na parte superior da pesquisa ou “% de impr. (parte sup.)” é a porcentagem de impressões de anúncios exibidas em qualquer lugar acima dos resultados da pesquisa orgânica.

Taxa de impressões na primeira posição da pesquisa.

A taxa de impressões na primeira posição da pesquisa ou “% de impr. (1ª posição)” é a porcentagem de impressões de anúncios exibidas como o primeiro anúncio acima dos resultados da pesquisa orgânica.

Métricas para melhorar o local de exibição dos anúncios.

Se manter bem posicionado com técnicas de rankeamento é fundamental e o uso correto das métricas como parâmetro pode fazer toda a diferença. Também definindo seus lances se seu objetivo aumentando a porcentagem de anúncios que aparecem na parte superior ou na primeira posição da página de resultados de pesquisa.

Parcela de impressões perdidas na primeira posição da pesquisa (orçamento).

A parcela de impressões perdidas na primeira posição da pesquisa (orçamento) estima a frequência com que o anúncio não apareceu na primeira posição devido a um orçamento baixo.

Parcela de impressões perdidas na parte superior da pesquisa (orçamento).

As impressões perdidas na parte superior da pesquisa (orçamento) indicam a frequência com que o anúncio não apareceu acima dos resultados da pesquisa orgânica devido a um orçamento baixo.

Parcela de impressões perdidas na parte superior da pesquisa (classificação).

A parcela de impressões perdidas na parte superior da pesquisa (classificação), também estima a frequência com que o anúncio não apareceu devido a uma classificação insatisfatória.

Parcela de impressões perdidas na primeira posição da pesquisa (classificação).

A parcela de impressões perdidas na primeira posição da pesquisa (classificação). também estima a frequência com que o anúncio não apareceu na primeira posição acima dos resultados da pesquisa orgânica devido a uma classificação insatisfatória.

Impacto dessa alteração.

O fim da métrica de posição média vai impactar em alguns itens sendo desativados a partir do dia 30 de setembro de 2019.

Os itens que serão desativados:

  • Regras que usam a posição média
  • Colunas personalizadas que usam a posição média
  • Relatórios salvos que filtram com base na posição média
  • Filtros salvos com posição média

Da mesma forma a métrica de posição média também será removida dos seguintes elementos:

  • Conjuntos de colunas salvas
  • Relatórios salvos que usam a coluna de posição média, mas não filtram com base nesse recurso
  • Visões gerais que usam a posição média nos painéis

Portanto o fim da métrica de posição média é uma maneira mais precisa e realista de mostrar o quanto seu anúncio foi exibido no topo da busca, e em que posição.